Ir para conteúdo
Anúncios

Por que fico tão cansado ao dirigir?

por que me canso tanto ao dirigir?

por que me canso tanto ao dirigir?

Para a maior parte dos detentores da Carteira Nacional de Habilitação, conduzir um veículo automotor representa uma tarefa corriqueira, trivial, sem grandes prazeres ou sofrimentos.

Uma minoria de apaixonados por carros considera o ato de dirigir extremamente agradável, quase sagrado. Não veem a hora de sair de seu trabalho para sentar atrás do volante e guiar, como forma de desestressar das obrigações diárias. Um artigo do Educação Automotiva já relatou os prazeres do volante para os autoentusiastas.

Este texto é direcionado para um público diferente: pessoas que não gostam de dirigir. Para uma fatia considerável dos habilitados, guiar um automóvel se trata de uma tarefa penosa e altamente cansativa. Um verdadeiro suplício. As críticas de parentes e amigos tendem a agravar o sofrimento, pois eles não compreendem a origem da tensão e suas causas.

Equipes multidisciplinares compostas por estudiosos de ergonomia, neurologia, engenharia automotiva, tráfego, dentre tantas, fizeram trabalhos aprofundados sobre as causas do estresse ao conduzir veículos automotores e seus principais fatores.

Alguns são bastante elementares e amplamente conhecidos. Todavia, outros se mostram inusitados e até surpreendentes, com grande poder de melhorar a qualidade de vida no trânsito. Veja quais são os XX fatores na lista abaixo:

1 – ERGONOMIA DO VEÍCULO

Na concepção de um novo modelo, o fabricante realiza estudos minuciosos para conceber todas as dimensões, incluindo a posição de dirigir. Este detalhe costuma passar despercebido para a grande maioria dos condutores, apesar de se mostrar determinante na qualidade de vida a bordo.

Condutores mais atentos percebem que alguns modelos podem ser guiados por longos períodos de tempo sem provocar cansaço, ao passo que outros demandam paradas mais frequentes, pois causam fadiga em poucos minutos.

Neste fator importante, mas negligenciado, reside a diferença entre um veículo confortável e agradável de dirigir e outro que causará desgaste físico e psíquico. Enquanto o primeiro permitirá ao motorista chegar descansado ao seu destino e realizar suas atividades, o de ergonomia menos acertada causará grande cansaço e aquela sensação de exaustão ao final da jornada.

Naturalmente, pessoas que sentem prazer com a atividade de guiar podem rodar centenas de quilômetros e/ou várias horas sem sentir vontade de parar a bordo de um modelo de boa concepção, ao passo que chegará mais cansado naquele modelo com assento, volante e pedais desalinhados, no qual se “dirige torto”.

Por sua vez, a pessoa que não gosta de dirigir sofrerá um desgaste normal ao conduzir em posição de assento e volante confortáveis. Fatalmente, caso possua um modelo com projeto ergonômico defasado – como em grande parte dos modelos produzidos até vinte anos atrás – sentirá enorme sofrimento e estará acabada ao desligar o motor ao final do dia.

Isso posto, a pergunta-chave sobre ergonomia é:

SEU CANSAÇO AO VOLANTE NÃO É CAUSADO PELA MÁ POSIÇÃO DE DIRIGIR?

TROCAR SEU CARRO POR OUTRO COM MELHOR ERGONOMIA NÃO TORNARIA O ATO DE DIRIGIR MAIS AGRADÁVEL?

Outras características como comandos pesados, de difícil acionamento, tais como pedal da embreagem, direção sem assistência, alavanca de câmbio, freios e/ou acelerador que exigem mais força para serem acionados não estão agravando o estresse ao dirigir? O próximo tópico aborda alguns itens e equipamentos para melhorar o bem-estar a bordo.

2 – EQUIPAMENTOS DE CONFORTO E CONVENIÊNCIA

Muitas pessoas afirmam não gostar de dirigir. Curiosamente, ignoram equipamentos de conforto e conveniência com poder para fazer do deslocamento um momento agradável. Mesmo para aqueles que desejam que outra pessoa a leve ao destino.

No passado, estes equipamentos tinham custo elevado e estavam presentes apenas nos modelos mais sofisticados – e caros. Atualmente, os itens da lista abaixo estão disponíveis na quase totalidade dos modelos comercializados no Brasil, mesmo como opcional. Entenda como podem contribuir para melhorar sua vida atrás do volante:

Ar condicionado

O trânsito é muito ruidoso, mesmo quando não nos atentamos a ele. Nos centros urbanos, o ruído de motocicletas, ônibus, caminhões, ambulâncias e pessoas causam estresse generalizado. Ao ligar o equipamento e fechar as janelas, a poluição sonora à qual os ocupantes ficam expostos se reduz, eliminando uma das causas de estresse. Mais do que um item de conforto, o condicionador de ar se mostra um item de saúde e segurança ao volante.

Direção assistida

Hidráulica ou elétrica, ela está presente em quase todos os modelos vendidos no País. A redução do esforço físico ao dirigir melhora o bem-estar, especialmente em manobras de estacionamento. Para pessoas mais sensíveis ao estresse, este item não pode faltar e está longe de ser uma “perfumaria”.

Câmbio automático

Até dez anos atrás, este item estava disponível apenas em veículos high-end e havia poucas opções de modelos sem o pedal da embreagem, também de elevado preço de compra. Atualmente, o equipamento se popularizou e modelos de entrada já o oferecem como opcional. Soma-se a abundante oferta de seminovos equipados com este tipo de transmissão, democratizando o acesso.

Trocar as marchas manualmente exige maior concentração e mais movimentos por parte do condutor. Em modelos mais antigos e/ou sem manutenção em dia, o pedal de embreagem e alavanca de câmbio podem exigir grande esforço físico para seu acionamento, aumentando significativamente o cansaço.

Especialmente nos congestionamentos em trechos urbanos, as constantes trocas exigidas pelo anda-e-para podem deixar o motorista mais entusiasta irritado. Quem dirá alguém que dirige por obrigação. Neste caso, o câmbio automático extrapola sua função de conveniência e ganha um status de equipamento de saúde física e mental.

Rádio com Bluetooth

Sair sem o telefone celular ou smartphone dificulta a vida de qualquer pessoa. Todavia, usá-los ao dirigir prejudica a atenção ao trânsito e gera multas, ao mesmo tempo no qual o motorista precisa falar com pessoas distantes, pelos mais diversos motivos.

Para este fim, um equipamento muito útil é o aparelho de áudio que reproduz o fone dos dispositivos móveis, permitindo seu uso sem tirar as mãos do volante e os olhos da pista. Um modelo de uso simples reduz o estresse de dirigir com apenas uma mão ao atender o telefone, especialmente em automóveis com transmissão manual.

Não há dúvidas no fato de que atender chamadas sem infringir a lei nem prejudicar a atenção ao volante reduz o estresse.

TRIO ELÉTRICO

Apesar da menor influência na redução do estresse, portas que se travam automaticamente e vidros que sobem e descem ao apertar de um botão, sem esforço físico algum. O motorista também está dispensado de esticar o braço para regular o retrovisor direito. Ao estacionar na rua, dispensa checar se todos os vidros estão fechados e portas trancadas.

Um item de conveniência que deixa o motorista tranquilo ao deixar seu carro estacionado na rua.

SENSOR E CÂMERA DE ESTACIONAMENTO

Fazer manobras é o terror de muitos motoristas, incluindo alguns com décadas de estrada. O motorista precisa de boa noção espacial, especialmente em veículos de três volumes (sedãs), de suspensão mais elevadas (picapes e SUV´s) ou muito longos. Um alerta sonoro que possibilita estimar a distância do veículo estacionado atrás ou uma câmera para enxergar milimetricamente seu posicionamento, facilitando muito a tarefa.

Este equipamento é barato e muito útil para motoristas sem boa visão espacial e/ou simplesmente não gostam de manobras.

No passado, apenas modelos de luxo possuíam todos estes itens. Com o avanço tecnológico e ganho de escala, um automóvel bem completo e que permite dirigir com mais conforto e segurança pode ser adquirido a preços acessíveis, mesmo quando novos.

Não é necessário gastar um rio de dinheiro para dirigir com conforto.

AJUSTE DO ASSENTO E VOLANTE

Os especialistas consideram este tópico como o mais importante para reduzir o cansaço ao volante. Um ajuste de assento incorreto gera tensão nos músculos e intensifica o esforço ao dirigir. Equívocos comuns como se posicionar muito próximo ou muito distante do volante ou com regulagem de altura inadequada para o biotipo do condutor.

Os benefícios de regular o assento do motorista corretamente vão além da redução da tensão e cansaço. Em longo prazo, a posição de dirigir ideal previne problemas ortopédicos, como lombalgia, dor no nervo ciático e artrite, dentre outras.

O assunto mais importante para reduzir o estresse no trânsito ganhou um artigo inteiro para otimizar a condução em conforto e firmeza ao dirigir, com riqueza de detalhes;

Veja em detalhes como ajustar corretamente o banco do motorista

Curta Educação Automotiva no Facebook e receba os novos artigos em tempo real

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: