Arquivo da categoria: Finanças Automotivas

Financiamento de carro vale a pena? [por CLUBE DOS POUPADORES]

financiar carro vale a pena?

Este artigo foi escrito por Leandro Ávila, do site de educação financeira Clube dos Poupadores. Ele trata sobre os custos de financiamentos e planejamento na compra e manutenção de seu automóvel, motocicleta ou utilitário.

Ele faz uma análise minuciosa dos impactos financeiros de seu veículo em seu orçamento, com recomendações para otimizar a utilização de seu dinheiro. Há comparativos sobre a compra à vista e a prazo.

Adquirir um veículo compatível com sua situação financeira, de maneira equilibrada e consciente se mostra fundamental para desfrutar com qualidade de seu automóvel. Leia no link abaixo o que o especialista em finanças pessoais tem a ensinar:

Clube dos Poupadores – Financiamento de carro vale a pena? – por Leandro Ávila

 

Anúncios

Carros de luxo usados: o sonho que pode virar pesadelo

carros de luxo seminovos sonho ou pesadelo

Os motoristas mais entusiastas sonham – ou já possuem – com carros de luxo. Excetuando os mais abonados, que os compram zero quilômetro, os motoristas com poder aquisitivo médio constatam que um automóvel premium seminovo custam  o mesmo que um sedã médio ou SUV compacto.

A princípio, o entusiasmo toma conta. Quem não prefere dirigir um BMW ou Mercedes-Benz de dois anos, na garantia, ao invés de um Honda Civic ou Corolla, pelo mesmo preço? Ou que tal trocar um Hyundai iX35 novo por Range Rover Evoque com três anos de uso?

Antes de correr para o mercado de usados, calma. Muita calma. Antes, você precisa estar ciente dessas informações para seu sonho não virar um pesadelo.

Continuar lendo

preço dos carros no brasil

Preço dos carros no Brasil: um motivo ignorado pela maioria

Muito se fala sobre os preços absurdos dos automóveis no Brasil. Os principais motivos já foram exaustivamente citados e esmiuçados em infindáveis artigos: carga tributária imoral, margem de lucro gorda das montadoras, alto custo de mão-de-obra, sindicatos, infraestrutura deficiente, preço dos insumos, taxa de juros escorchantes para as empresas investirem em produção, entre centenas deles. Este post não tratará deles, pois o objetivo não é chover no molhado. Desta vez, o foco reside em uma questão comportamental do consumidor brasileiro, que é:

Continuar lendo

Qual é a hora certa de trocar de carro? Introdução

compra

Ao longo destas décadas nas quais acompanho de perto o mercado automotivo, sempre houve uma pergunta frequente:

QUAL É A HORA CERTA DE TROCAR DE CARRO? Continuar lendo

Golpe dos boletos de IPVA: cuidado simples para não cair

boleto falso

Exemplo de boleto falso de IPVA 2016

Golpes existem, sempre existiram e sempre existirão, em qualquer lugar do mundo. Com o objetivo de não trabalhar, os estelionatários têm muito trabalho em inventar ardis para ludibriar os incautos. A farsa mais recente são os boletos de IPVA forjados, enviados por correio.

ipva 2015 true

Exemplo de boleto verdadeiro de IPVA 2016

Os bandidos possuem alguma fonte de dentro dos Detrans para obter os dados e fabricar os boletos falsos, isso se não forem funcionários. Golpes com multas também se mostram comuns. Porém, como não existe crime perfeito, eles cometem deslizes graves. O pagador de impostos atento jamais será enganado, pois prestará atenção aos importantes detalhes listados abaixo:

1. Governos não cobram impostos por boleto de cobrança: todo tributo, seja ele federal, estadual ou municipal, possui documento específico para pagamento. O IPVA não é diferente: ele deve ser pago nas agências bancárias ou pelo internet banking utilizando o número do Renavam do veículo. O crédito será feito diretamente aos cofres públicos, sem intermediários.


AGORA PRESTE ATENÇÃO: OS BOLETOS FALSOS CONTÉM UM BOLETO DE COBRANÇA SEMELHANTE AOS DE CONTAS COMUNS, COMO FATURAS DE CARTÃO, ESCOLA, CONDOMÍNIO, ETC. AO REALIZAR O PAGAMENTO, O DINHEIRO CAIRÁ DIRETAMENTE NA CONTA DOS GOLPISTAS, SEM QUALQUER VÍNCULO COM OS GOVERNOS. O TRIBUTO TERÁ QUE SER  EFETIVAMENTE PAGO E O DINHEIRO DO BOLETO SERÁ ROUBADO.

O IPVA SERÁ PAGO APENAS COM O NÚMERO DE RENAVAM, NAS AGÊNCIAS BANCÁRIAS OU INTERNET BANKING. QUALQUER FORMA DIFERENTE DE COBRANÇA É GOLPE.


Devemos prestar atenção a outros detalhes menores, mas que também denunciam a ilegitimidade destes boletos:

Erros de português, pontuação e acentuação: estelionatários não dominam a língua portuguesa, de forma geral. Se o documento recebido mostrar gramática, ortografia, concordância e acentuação displicentes, trata-se de boleto falso. Órgãos públicos fazem revisão da redação de seus documentos.

Descontos “generosos” para o pagamento à vista: os governos raramente concedem descontos maiores que 5% para pagamento à vista. Nos boletos forjados, os larápios oferecem 15% de abatimento. Caso isso ocorra, se trata de mais um evidência de boleto falso.

Brasões, insígnias, siglas e formatação divergentes dos boletos usuais: os carnês de IPVA seguem um padrão gráfico que sofre poucas alterações de um ano para o outro, mas os boletos fraudulentos utilizam formatação muito diferente da verdadeira. Na dúvida, pegue os documentos de anos anteriores e verifique se os brasões, insígnias, siglas, fonte e formatação são iguais aos modelos de outros anos. Mudanças radicais entregam os boletos falsos.

Em resumo, o pagador de impostos atento perceberá claramente as dezenas de diferenças entre um boleto oficial e um fraudulento, principalmente na forma de pagamento do tributo. Basta um pouco de atenção, e você jamais será enganado.

IPVA 2016

Por que a cobrança de IPVA não faz sentido nos dias de hoje

O IPVA consiste em um imposto criado em 1985 em  São Paulo para substituir a Taxa Rodoviária Única, de 1969. Surgiu a pretexto de financiar a manutenção e conservação de ruas e estradas, mas é cobrado sob a figura de imposto, tipo de tributo não vinculado. Ou seja, os estados e municípios pode gastar os recursos como quiserem, não necessariamente na malha rodoviária.

Logo a ideia foi copiada pelos governantes de todos os outros estados, com alíquotas que variam de 0 a 4% sobre o valor venal do veículo, baseado na tabela Fipe. Cada governador define suas alíquotas e critérios, pois o tributo é de competência estadual. Há diversos fatores os quais fazem as alíquotas variarem, descritas abaixo: Continuar lendo

Lembranças automotivas da minha infância, parte 2

carro 80 din

Nesta segunda parte, o foco das lembranças automotivas da minha infância consistirá nas questões financeiras envolvendo os automóveis. Os mais velhos se lembram da enorme instabilidade econômica que assolou o Brasil até o início do plano Real, com inflação de 85% ao mês, diversos planos econômicos fracassados e grandes dificuldades impostas ao povo brasileiro. Alguns fenômenos bizarros ocorreram devido ao grave quadro estabelecido na década dos carros quadrados. Abaixo, descreverei alguns fatos que hoje parecem coisa de filmes de suspense: Continuar lendo