Ir para conteúdo
Anúncios

O motor está falhando? Tente fazer isso antes de levar ao mecânico

como fazer o motor do carro parar de falhar

Quem nunca teve um veículo com vibrações em marcha lenta, funcionamento irregular em baixas rotações, “engasgos” no início de retomadas, dificuldades na partida a frio, alto consumo, perda de performance e problemas similares?

Excetuados casos mais graves, os quais demandam reparos imediatos, tente realizar este procedimento antes de correr à oficina. Ele resolve cerca de metade dos problemas de funcionamento do propulsores a custo muito inferior ao de uma intervenção mecânica.

Boa parte dos problemas de funcionamento do motor são causados por combustível e/ou lubrificantes de má qualidade. Ao substituí-los por produtos de nível superior e eliminar as impurezas do sistema, resolve-se inúmeros problemas sem a necessidade de serviços de oficina.

1 – ESGOTE O COMBUSTÍVEL RUIM QUE HÁ NO TANQUE

O uso habitual de produtos de baixa qualidade ou o abastecimento de um tanque cheio de combustível fora das especificações pode contaminar o sistema de injeção e provocar funcionamento anormal do sistema.

O primeiro passo consiste em esgotar todo o produto com problemas, com vistas a iniciar processo de limpeza.

2 – ABASTEÇA COM GASOLINA ADITIVADA DE BOA QUALIDADE

Esqueça por um momento o preço do combustível. Complete o tanque com a melhor gasolina que puder encontrar. Se o posto oferecer algum tipo especial para limpeza de bicos injetores, use-o. Não tenha pena de gastar R$ 15 a mais para restaurar o desempenho e consumo originais de seu automóvel ou motocicleta.

A gasolina aditivada possui detergentes que ajudam a limpar os bicos e câmaras de combustão, desprendendo as impurezas impregnadas no sistema. Para garantir a eficácia do procedimento, recomenda-se abastecer ao menos dois tanques completos.

Caso não haja gasolina aditivada no estabelecimento ou deseje maior rapidez no processo, utilizar um aditivo de limpeza de bicos pode contribuir. O preço varia entre R$ 10 a R$ 30, em média.

aditivo de limpeza de bicos

3 – DÊ UMA “ESTICADA” EM ALGUMAS OCASIÕES

As rotações elevadas ajudam a desprender as impurezas do sistema de injeção e da câmara de combustão, fazendo-as ficar retidas no filtro de óleo. O melhor método consiste em dirigir o veículo em rodovia, a velocidade e rotação constantes, em uma marcha abaixo da recomendada.

Por exemplo, um veículo que trafega a 100 km/h em quinta marcha, o condutor pode reduzir para a quarta, elevando a rotação para cerca de 4 mil giros por curtos períodos de tempo. Quanto mais constante permanecerem a velocidade e rotação, mais eficaz a limpeza. Dez minutos contínuos ou alternados neste regime são o suficiente.

Dar uma dezena de arrancadas com o pé embaixo também contribui para “limpar a cabeça do pistão” e desentupir os bicos injetores, alimentados com combustível de primeira qualidade. Naturalmente, não se deve realizar as práticas além do necessário, para não prejudicar o propulsor e gerar outros defeitos.

Após dois tanques e a realização dos processos acima, o funcionamento do motor deve voltar ao normal. A priori, a operação em marcha lenta e rotações abaixo de 1.500 rpm devem ser evitadas para não reverter o processo, buscando a faixa entre 1.500 rpm e 3.00 rpm.

4 – TROCA DE ÓLEO E FILTROS

Uma vez restaurada a performance original, hora de eliminar toda a sujeira do sistema de alimentação do motor. Chegou a hora de trocar o óleo e os três filtros (óleo, ar e combustível).

Por que não fazer antes? A carbonização e impurezas presentes no sistema precisam ser eliminadas e ficam retidas no lubrificante e nos filtros, os quais absorverão toda a sujeira. Uma vez limpa a “parte de cima” do motor, hora de sanear o restante.

O uso de lubrificantes de baixa qualidade e/ou fora da especificação também contribuem para problemas no funcionamento do motor. Nesta hora, vale a mesma regra do posto de gasolina: não economize, utilize o melhor óleo lubrificante que puder. De preferência, o especificado pelo fabricante.

De agora em diante, vida normal. Basta observar os cuidados obrigatórios: abastecer com combustíveis de qualidade, respeitar os prazos para troca de óleo e guiar com zelo e atenção, poupando o veículo. 

SE O MOTOR CONTINUAR FALHANDO, O QUE FAÇO?

Caso a carbonização e quantidade de impurezas forem muito grandes, e o motor continuar com problemas, pode-se tentar a descarbonização e limpeza de bicos. Se as anormalidades persistirem mesmo assim, chegou a hora e procurar uma oficina e examinar o veículo com mais atenção.

RESOLVE EM TORNO DE METADE DOS CASOS

Muitos mecânicos relatam que seus clientes trazem carros com pequenas falhas relacionadas à qualidade do combustível, nos quais não é necessária a execução de nenhum serviço. Outros profissionais realizam este procedimento e cobram por ele, o que não há problema. Todavia, o proprietário pode fazer por conta própria.

Reza a lenda que os médicos dão o diagnóstico de “virose” para pequenas indisposições, febres e gripes. O equivalente dos mecânicos é “seu carro está com gasolina ruim”. A gasolina ruim é a “virose dos carros”, e a gasolina aditivada é o “anti-histamínico”.

Gostou do artigo? Cadastre-se em nossa mala direta no rodapé da página e curta Educação Automotiva no Facebook para receber nosso conteúdo em tempo real!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: