Ir para conteúdo
Anúncios

5 curiosidades sobre os carros zero quilômetro

curiosidades carro zero km

curiosidades carro zero km

Grande parte dos brasileiros sonham com a aquisição do carro zero quilômetro, mas desconhecem alguns aspectos interessantes sobre aquele possante que acabou de sair da linha de montagem para ser entregue sem placa para o feliz proprietário.

O brasileiro tem forte ligação emocional com o “cheiro de novo” do automóvel zero quilômetro, e aí vem a primeira curiosidade…

1 – O brasileiro adora o aroma de carro zero quilômetro, mas os europeus têm uma visão completamente diferente, talvez bizarra para os tupiniquins. O odor se origina dos plásticos, tecidos e borrachas recém-fabricados. Ou seja, de polímeros e compostos químicos, dos quais muitos se mostram nocivos à saúde e até com suspeita da presença de alguns cancerígenos.

Posto isso, há um grande choque cultural entre os brasileiros e europeus: enquanto nós tomamos todas as medidas para que o cheiro de novo perdure o máximo possível, os habitantes do velho continente deixam os vidros abertos durante a noite, se possível, para que os produtos cancerígenos se dissipem mais rápido. Um antagonismo curioso, para dizer o mínimo.

2 – Um veículo tem o hodômetro marcando zero quilômetro a partir do momento no qual ele recebe o último selo de qualidade na pára-brisa e deixa a linha de montagem. Dali, ele segue para o pátio, onde aguarda sua venda para o concessionário. Porém, as fábricas de automóveis se situam em grandes áreas, verdadeiras cidades.

Os automóveis recém-fabricados vão rodando até o lugar no qual esperarão ser despachados para as lojas, aproximadamente de dois a cinco quilômetros do final da linha de montagem. Ao ser faturados, devem percorrer o caminho reverso para embarcar no caminhão-cegonheira para ser preparado para entrega ao comprador. Para isso, percorre mais dois a cinco quilômetros.

Já na revenda, ocorre a preparação. Lavagem, polimento, instalação de acessórios e check-list fazem o veículo percorrer mais alguns quilômetros. Agora que você sabe por onde seu carro zero andou desde “nascer”, pode compreender o porquê recebemos nosso possante marcando 8, 12 ou 15 quilômetros no hodômetro, na maioria dos casos.

3 – Um carro só pode ser considerado zero quilômetro com hodômetro marcando até 100 quilômetros para efeitos de seguro e revenda.

4 – Desde a saída da linha de montagem até a entrega ao seu proprietário, o veículo pode ficar de 15 dias a até um ano e meio parado no pátio. À exceção dos modelos muito caros e luxuosos, eles ficam no tempo, tomando, sol, chuva, vento, calor, frio, tudo.

O tempo no qual o automóvel aguarda o seu comprador depende de algumas variáveis:

  • Situação de mercado: com mercado aquecido, os estoques giram mais rápido e o modelo raramente fica mais de um mês. O oposto ocorre em épocas de baixo volume de vendas, com média de dois a três meses para vender.
  • Modelo do carro: modelos “queridinhos” dos clientes, em cores neutras (prata, branco, preto, cinza) e em versões intermediárias vendem mais rápido em comparação com modelos rejeitados, em cores exóticas e versões muito básicas ou muito completas, que podem demorar vários meses para ter um destinatário.
  • Local de entrega: por óbvio, cidades mais distantes demandam mais tempo de transporte, e a logística mais complexa tende a aumentar o prazo que ficam em estoque.
  • Em modelos de exportação, tal característica se ressalta, posto que é necessário carregar um navio com milhares de unidades, as quais levam meses para ser produzidas. Enquanto os primeiros aguardam meses no pátio esperando a fabricação de seus “irmãos”, o processo de embarque, desembarque e desembaraço nas alfândegas pode fazer os automóveis demorarem mais de um ano até chegarem ao consumidor final.
  • As montadoras condicionam a venda de um lote de veículos fáceis de comercializar com um modelo renegado – o famoso “mico’. Para o concessionário que o recebe, a revenda dos modelos procurados compensa a perda desta unidade, geralmente um modelo de cor viva e/ou com histórico de problemas mecânicos e/ou de versões pouco procuradas. Enquanto os favoritos dos clientes chegam à loja já com dono, os renegados demoram meses para desovar. Neste post, estão alguns motivos pelos quais alguns carros viram “micos”.

5 – As vendas de carros novos têm caído no mundo inteiro. Mesmo em mercados com tradição de rejeição de veículos de segunda mão, como Estados Unidos e Europa, há uma menor frequência de troca e maior prazo de permanência com a mesma unidade. Os especialistas de mercado atribuem o fenômeno à crise econômica de 2009 e melhoria notável na qualidade, durabilidade e confiabilidade dos carros, os quais permanecem em boas condições por mais tempo.

O mesmo fenômeno se observa por aqui nos dias de hoje, levando à forte queda de um estranho costume de alguns abastados motoristas brasileiros: trocar o carro todo ano. Esse hábito bizarro ocorria devido à baixíssima qualidade e taxa de falhas dos veículos nacionais até os anos 90. Para evitar despesas e trabalho com manutenção e conservação do veículo, tais donos os vendiam e compravam outro, zero quilômetro.

À época, era possível fazê-lo desembolsando pequenas diferenças, pois a desvalorização se mostrava muito menor devido às condições econômicas de hiperinflação e demanda reprimida.

Nos dias atuais, a única justificativa para trocar anualmente o veículo consiste na vontade de ter um carro zero, pois a qualidade e durabilidade melhoraram muito e pode-se permanecer muitos anos com um veículo sem nenhuma falha, bastando respeitar o plano de manutenção. A questão da desvalorização torna a troca muito custosa, pois a depreciação pode chegar a 30%, tornando a prática insensata mesmo para quem tem boa condição financeira. Algo que mesmos os ricos evitam em tempos bicudos.

Relembre o cenário econômico dos anos 80 e 90 neste post.

Veículos zero-quilômetro possuem muitas peculiaridades, algumas legais e outras nem tanto. Pagar taxa de emplacamento e IPVA cheio não trazem boas lembranças, e mesmo assim há aqueles que fazem questão de ser os primeiros donos. Se esqueci de algo relevante, deixe sua sugestão nos comentários.

Anúncios

Um comentário em “5 curiosidades sobre os carros zero quilômetro Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: