Arquivo da tag: dirigir bem

A ascensão do câmbio automático

cambio_automatico

Até vinte anos atrás, o câmbio automático era considerado um equipamento de luxo, típico de carros premium alemães, americanos e japoneses. Apesar de alguns modelos nacionais como VW Santanta e os Chevrolet Monza, Opala, Vectra e Omega o ofertares, os consumidores apresentavam sérias ressalvas com relação a essas caixas, pois ofereciam desempenho bastante inferior, com consumo alto, baixa confiabilidade e manutenção caríssima. Naqueles tempos, o brasileiro torcia o nariz para os automáticos, definitivamente.

A evolução da tecnologia, no final dos anos 90, trouxe alguma aceitação entre os consumidores mais ricos, junto com alguns lançamentos de caixas mais modernas (para a época), como a Automatic-4 pela Chevrolet, o Tiptronic da Volkswagen e as caixas japonesas da Aisin, que equiparam diversos modelos, com ótima confiabilidade. Neste período, os automáticos viraram o jogo. Continuar lendo

Anúncios

10 coisas que as mulheres esperam de um homem ao volante

conversível

Este post foi escrito para ser polêmico e dividir opiniões. Ao longo de minha vivência no universo automotivo, um dos assuntos os quais me despertaram mais curiosidade é este:

O QUE AS MULHERES ESPERAM DE UM HOMEM AO VOLANTE?

Conversei com um sem-número de mulheres e homens a fim de encontrar uma resposta definitiva e…descobri que ela não existe! Por outro lado, consegui identificar alguns padrões valorizados pela maioria das senhoras e senhoritas, os quais se seguidos, trará grande respeito e sucesso para os varões ao volante. Também constatei que alguns senhores e rapazes desconhecem as preferências do sexo oposto. Segue abaixo uma breve lista: Continuar lendo

O MÍNIMO DE ACELERADOR, O MÍNIMO DE FREIO. O lema de quem quer economizar combustível.

acelerador

Em tempos de inflação galopante e forte aumento do preço nos postos, todo mundo busca formas de economizar, de dirigir gastando menos. Posto isso, escolho o principal culpado do desperdício de combustível:

O ABUSO DO PEDAL DE ACELERADOR

Você sabia que o uso excessivo ou desnecessário de aceleração é a maior causa de consumo excessivo de combustível? Muitas pessoas reclamam que o veículo consome mais que o prometido pelo fabricante, mas não se atentam aos próprios hábitos ao volante. O foco deste post está em como acelerar e frear, principal fator de economia.

Muitos dizem: “a montadora diz que o carro faz 8,5 km/l de álcool na cidade, mas não consigo fazer mais de 6 km/l”. O provável culpado desta situação é o uso excessivo do acelerador. Arrancadas rápidas nas saídas de semáforo, frear brusca e tardiamente quando acende a luz vermelha, queimar embreagens em rampas e subidas, apertar o acelerador mais fundo que o necessário…enfim, são diversos hábitos que levam ao desperdício de combustível e aumento do desgaste do veículo, resultando em grandes prejuízos financeiros. O que fazer?

As dicas abaixo descrevem os principais hábitos ao volante para reduzir o uso de combustível e emissões de gases:

1 – Aprenda a modular o uso do pedal de acelerador: salvo se você possuir um carro antigo ou de desempenho muito fraco, não é necessário “enfiar o pé no acelerador” para ganhar velocidade. Aperte só a “pontinha” do pedal e espere o veículo embalar por conta própria. Os motores modernos são equipados com acelerador eletrônico, que faz o regime de rotação do motor subir naturalmente e com menor uso de combustível. Afundar o pé no acelerador só irá desperdiçar combustível sem aumento de desempenho correspondente. Ter um pé de pluma deixará muitos reais no seu bolso.

2 – Arranque devagar nas saídas de sinal: no tráfego urbano, há semáforos em praticamente cada esquina. É improdutivo acelerar rapidamente para ter que parar poucos metros à frente. A maior parte do combustível é usada para tirar o carro da inércia, e seu consumo aumenta significativamente quanto mais rápida for a necessidade de aumento de velocidade. Portanto, arrancar gradualmente, acompanhando a velocidade do fluxo de veículos, ajudará a reduzir o consumo.

3 – Desacelerar gradualmente ao parar nos sinais fechados – assim como acelerar lentamente traz economia, desacelerar de maneira gradual também poupa recursos. Ao observar que o trânsito irá parar à frente, o motorista inteligente deve rapidamente soltar o acelerador e aproveitar o “embalo” do veículo, o deixando desacelerar lentamente, aproveitando a energia cinética do mesmo. E freará o mínimo possível, somente para parar o veículo. Além de salvar combustível, também preservará os freios. Dupla economia.

4 – Não abuse das rotações altas – nem das muito baixas. Os motores são calibrados para oferecer economia de combustível máxima nos regimes próximos ao torque máximo, o qual varia entre 1500 a 3500 rpm na maior parte dos veículos. Trabalhar em rotações muito acima ou abaixo desta faixa trará aumentos consideráveis de consumo de combustível, além de causar queda na durabilidade dos componentes. Manter o propulsor na sua faixa ótima de funcionamento contribui para a economia.

5 – Modular o pedal de acelerador nas saídas em subidas – este item é importante para moradores de cidades e bairros de relevo acidentado. O uso excessivo de aceleração em rampas aumenta bastante o consumo de combustível, alem de causar desgaste prematuro do sistema de embreagem. A melhor dica é fazer como aprendemos na autoescola: ao arrancar, puxar o freio de mão e acelerar lentamente até o veículo dar aquela suave levantada na dianteira. Então soltamos o veículo e saímos sem trancos e aceleração desnecessária.

6 – Mantenha velocidade constante e se mantenha no limite da via, em estradas – como dito anteriormente, o que leva a elevado consumo de combustível é a variação de velocidade e aceleração. Visto que a maior parte dos motoristas segue a velocidade máxima da rodovia, o melhor a se fazer é seguir o fluxo, evitando acelerações e desacelerações desnecessárias. Altas velocidades aumentam exponencialmente o consumo. Andar acima de 120 km/h garante gasto de pelo menos 15% a mais de combustível. Se seu veículo for equipado com controle automático de velocidade, o “piloto automático”, se acostume a utilizá-lo em estradas, pois contribui para a economia.

Somando as regras acima, o lema da economia de dinheiro para o motorista é resumido em:

O MÍNIMO DE ACELERADOR, O MÍNIMO DE FREIO

Mais um vídeo sobre economia de combustível: Dr. Carro

Este vídeo é mais longo e detalhado que o anterior, tratando de mais aspectos. Se você quer aliviar o seu bolso do aumento dos combustíveis ocorrido recentemente, ouça atentamente o que o Dr. Carro tem a dizer.

Condução Inteligente, Parte 1: Por que é tão importante calibrar os pneus

Este primeiro post da série Condução Inteligente fala sobre uma medida de economia e segurança que não custa um centavo para o motorista: calibrar os pneus a cada 15 dias. Os quatro  principais benefícios são indiscutíveis:

  1. Economia de combustível: um único pneu descalibrado pode aumentar o consumo de combustível em 15% ou mais, desperdiçando muitos recursos.
  2. Redução na emissão de poluentes: a consequência do aumento do consumo se traduz em aumento da produção de gases de escape. Se você calibra os pneus, a natureza agradece.
  3. Menos manutenção: pneus fora da pressão recomendada pela fábrica são mais sujeitos a furos, cortes e outros danos. Soma-se a isso o desgaste prematuro quando muito vazios ou cheios. Também podem ocorrer danos nas rodas e na suspensão. Resumindo: manter os pneus calibrados evita idas à oficina e despesas desnecessárias.
  4. Mais conforto e melhor dirigibilidade: como o pneu é o primeiro amortecedor que absorve as irregularidades do solo, pneus fora da pressão tornam o carro desconfortável e pioram muito o comportamento em curvas. Assista o vídeo abaixo para compreender a importância deste cuidado essencial e suas consequências:

Leia também a segunda parte: Por que é tão importante cuidar bem dos pneus

Condução inteligente: a solução para economizar e preservar o meio ambiente

eco

Todos os brasileiros estão decepcionados com o aumento do preço dos combustíveis e estão preocupados sobre qual medida devem tomar para não sofrer tanto. Outro efeito nefasto consiste na inflação gerada em todos os produtos que consumimos, pois seu transporte quase sempre depende do diesel dos caminhões. E isso tem solução? Não temos controle sobre os valores cobrados pela gasolina, mas podemos fazer a nossa parte: mudar nossos hábitos de direção.

Na série Condução Inteligente, explicarei quais os principais hábitos do motorista inteligente, listados abaixo e detalhados nos demais postos.

  1. Deixar o motor ligado apenas quando o carro estiver em movimento.
  2. Controlar a rotação do motor pelo conta-giros. Andar sempre na faixa ideal de economia, evitando rotações muito altas e muito baixas.
  3. Pouco acelerador e pouco freio. Fazer mudanças lentas e gradativas de velocidade, evitando arrancadas e freadas bruscas.
  4. Andar sempre no limite da via, seguindo o ritmo do fluxo de veículos. Além de economizar combustível e freios, também evita multas.
  5. Calibrar os pneus a cada 15 dias. Um único pneu descalibrado aumenta o consumo em 15% ou mais.
  6. Manter a manutenção sempre em dia.
  7. Abasteça sempre com combustível de qualidade.
  8. Levar somente o necessário no veículo. Cada 50 quilos de carga aumenta o consumo em 5%. Parece pouco, mas em um período longo a economia é considerável.

Ficou interessado em economizar? Esta série traz o essencial para você fazer seu dinheiro render. Não podemos depender do governo nem das montadoras para aliviar o nosso bolso. Vamos fazer a nossa parte. Mãos à obra!