Ir para conteúdo
Anúncios

Morte de Cristiano Araújo, parte 4: o perigo de colocar rodas fora do padrão de fábrica

morte cristiano araujo

rodas

Última parte sobre o acidente que vitimou Cristiano Araújo. Resultados preliminares da perícia e o depoimento do motorista sobre suas possíveis causas revelaram mais um fator de risco que causou o resultado: as rodas originais foram trocadas por outras de medidas diferentes.

Segundo aponta a perícia, foi feita uma parada em um posto de gasolina 21 minutos antes do acidente, o qual ocorreu 57 quilômetros à frente, o que resulta em uma velocidade média de 162 km/h, muito superior aos 110 km/h permitidos na rodovia BR-153. No depoimento, o motorista relatou o estouro de um pneu, alegando que esta foi a causa do capotamento. Também afirmou que as rodas originais haviam sido trocadas por outras que estavam em outro veículo do cantor, do mesmo modelo.

As duas variáveis que mais exigem dos pneus são carga e velocidade. O veículo tinha quatro ocupantes e bagagem e trafegava em alta velocidade. Sobre o fator velocidade, sabe-se que um veículo rodando a 150 km/h aplica uma carga quatro vezes maior nos pneus em comparação a outro que trafega a 100 km/h. Levando em conta que o veículo estava com carga total, pode-se afirmar que os pneus estavam sendo solicitados ao limite. Se tiverem sido vulcanizados, tiverem sua estrutura danificada ou apresentarem bolhas ou rachaduras, o risco de acidente se eleva exponencialmente. Todos os fatores de risco sobre os pneus estavam presentes neste acidente.

O sonho de muitos entusiastas de carros é trocar os conjuntos originais por outros maiores. A regra é que os novos conjuntos tenham diâmetro externo do pneu maior com perfil mais baixo. Observando de lado, pode-se ver que a roda é muito grande é o pneu é “fino”. Esta configuração tende a melhorar a estabilidade em curvas, mas é mais frágil a impactos em buracos e irregularidades do piso, além de suportar menos carga. O Range Rover Sport pesa quase duas toneladas e meia, e colocar pneus menos resistentes e expô-los a grande carga e velocidade teve grande influência no acidente.

Considerando que os pneus são o único contato do veículo com o solo, que veículos pesados e potentes como os SUV´s de luxo exigem muito dos pneus, que todos os fatores de risco de carga e velocidade estavam presentes e que os conjuntos roda/pneu não eram originais, sem dúvida os pneus foram decisivos na ocorrência da tragédia.

Por precaução, peça ajuda profissional antes de alterar as rodas de seu veículo. Não mude o diâmetro externo do pneu e evite configurações frágeis, como rodas muito “abertas” e pneus de perfil muito baixo. Não valorize apenas a estética, respeite as especificações de fábrica. Pois você pode ser o próximo a virar estatística.

Anúncios

Um comentário em “Morte de Cristiano Araújo, parte 4: o perigo de colocar rodas fora do padrão de fábrica Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: