Arquivo da tag: desempenho

Lembranças automotivas da minha infância, conclusões finais

Na parte 1 desta série de posts, falei sobre o mercado de veículos dos anos 80 e 90, do oligopólio das quatro grandes (VW, GM, Fiat e Ford) e da falta de opções de compra. (Confira aqui a parte 1).

Na segunda matéria, a pauta foi finanças e economia automotivas, contextualizados com o cenário econômico dificílimo daqueles tempos, com baixo crescimento econômico e hiperinflação, assim como todo o desdobramentos para os consumidores. (Confira aqui a parte 2).

No post 3, os aspectos de segurança e costumes dos motoristas daqueles tempos foram abordados, em comparação com os atuais.(Confira aqui a parte 3).

O post seguinte trata de questões técnicas dos automóveis de trinta anos atrás, no que concerne à dirigibilidade, conforto, estabilidade, performance, ruído e emissões e como era o ato de dirigir naqueles tempos. (Confira aqui a parte 4).

A penúltima matéria aborda as condições das ruas e estradas àquele tempo, detalhando a evolução ao longo das décadas e futuras necessidades. (Confira aqui a parte 5).

Em poucas décadas, a evolução da indústria automobilística se mostrou brutal, e muito mais ainda nos espera. O escopo desta série de posts residiu em expor todos os aspectos positivos e negativos daqueles que possuíam e/ou trafegavam de carro nos anos 80 e 90. Para os mais velhos relembrarem, e os mais novos compreenderem como todo o processo de desenrolou. Espero que tenham gostado.

Anúncios

O que é turbo lag?

gráfico de turbo lag
O gráfico acima mostra a queda brusca de rotação nas trocas de marcha, com a subsequente elevação brusca. Este é o efeito do turbo lag e compromete o desempenho e dirigibilidade do veículo.

Todos os apaixonados por automóveis sonham com um modelo de alta performance, de preferência esportivo. Nos dias de hoje, ser equipado com um motor turbinado se mostra quase obrigatório. Apesar de haver opções disponíveis no mercado há quase trinta anos, nunca obtiveram grande sucesso, como o Volkswagen Gol 1.0 Turbo, lançado em 2000.

Em um passado (muito) recente, havia grande preconceito contra esta tecnologia devido às suas limitações, especialmente no que concerne à durabilidade. No campo da dirigibilidade, o mais conhecido se chama turbo lag.

Turbo lag significa…

Continuar lendo

Por que um motor a álcool consome mais que outro a gasolina? E por que o diesel consome menos que os outros dois?

Atualmente, a maioria dos automóveis vendidos no Brasil são equipados com motores bicombustível, os quais aceitam álcool e gasolina. Gás natural veicular (GNV) e diesel também se mostram muito populares, assim como as intermináveis discussões entre as vantagens e desvantagens de cada um. Devido ao altíssimo preço dos combustíveis imposto pelo governo, o foco principal reside no consumo. Este é o foco deste post.

Os detentores de maior conhecimento automotivo podem achar o título deste artigo simplório, mas ele responde uma dúvida recorrente entre os motoristas menos informados. Qualquer dono de carro “flex” sabe que o consumo no álcool é cerca de 30% maior que com gasolina, o famoso “ele faz 7 (km/l) no álcool e 10 na gasolina”. Também sabem que o diesel e o GNV tem maior autonomia em relação a álcool e gasolina. Qual a explicação?

Continuar lendo

turbocompressor por dentro

Cuidados a se tomar com motores turbo

Depois de muitos anos de acompanhamento da tecnologia dos motores turbo, o consumidor brasileiro começa a comprar veículos equipados com este propulsor em grande escala. Muita força nas arrancadas e retomadas, performance excepcional e elasticidade, aliadas a baixo consumo, surpreendem até os mais céticos. Os proprietários destes veículos se mostram plenamente satisfeitos com o ótimo desempenho aliado a grande economia, em sua maioria. Conhecem os benefícios e poucos voltariam a ter um aspirado.

Apesar de grande parte dos motoristas ainda se mostrarem presos aos antigos preconceitos contra os sobrealimentados, como “carro de boy”, “não preciso de tanta potência, não gosto de correr”, “motor turbo quebra muito”, dentre outras afirmações sem respaldo técnico, o avanço desta tecnologia se mostra irreversível.

Considerando que a nova legislação de emissões de poluentes entra em vigor este ano, e sem a aplicação de turbocompressores não há possibilidade de ela ser cumprida. Gostem ou não, motores aspirados cairão em desuso nos próximos anos, fenômeno em fase avançada na Europa. Somente os híbridos e elétricos podem desafiar os sobrealimentados em performance e consumo, mas o alto preço das baterias ainda restringe seu uso. O motor turbo é a bola da vez.

turbo2

Após esta breve introdução, vamos ao ponto central do post. Aqueles que já possuem um veículo com motor turbo ou pretendem comprar um precisam conhecer as peculiaridades e cuidados desta tecnologia que encanta, mas também tem suas exigências. A lista abaixo detalha as mais importantes: Continuar lendo

Turbo: um grande aliado do meio ambiente

turbo

Turbocompressor ou turbina

O poder do turbocompressor consiste em uma dos raros artifícios mecânicos cujo resultado caiu no vocabulário do cidadão comum, leigo em relação ao mundo do automóvel.

Quando alguém busca um trabalho extra, diz que pretende “turbinar a renda”, quando uma mulher implanta silicone  nos seios, chamam-na de “turbinada”. Enfim, o termo se mostra assimilado pela sociedade como um todo.

Por outro lado, o senso comum observa apenas uma parte dos benefícios dos turbocompressores, o ganho de desempenho. Este post descreverá brevemente outros ganhos obtidos por este arranjo mecânico. Continuar lendo

vw volkswagen gol gti 1988

Lembranças automotivas da minha infância, parte 4

Nesta quarta matéria, o foco reside nas questões práticas do ato de dirigir naqueles tempos. Como andavam os carros, se eram barulhentos, confortáveis, equipados, gastões ou econômicos e todos os pequenos detalhes que marcaram minha infância e começo de adolescência, com mais detalhes além dos descritos na primeira parte. (Confira aqui). Continuar lendo

Liberação dos carros movidos a diesel no Brasil. Vale a pena ter um?

Liberação dos carros movidos a diesel no Brasil. Vale a pena ter um?

motor a diesel

Poucos motoristas sabem que existe uma lei de 1976 que proíbe a venda de carros movidos a diesel no Brasil. À época, o objetivo principal consistia estimular o uso do etanol, restringindo o combustível fóssil para os veículos pesados como caminhões e ônibus, principais modais de transporte por aqui.

Continuar lendo