Arquivo da tag: história

Salão do Automóvel 2008 [FOTOS]

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

História das montadoras: Ford [links]

Ford Motor Company

A Ford Motor Company foi fundada em 1903 por Henry Ford, o inventor do sistema de produção por linha de montagem. Sua sede global se situa em Dearborn, Michigan, Estados Unidos.

A sede brasileira fica em São Bernardo do Campo, São Paulo. As operações locais se iniciaram em  1909, com a comercialização do modelo T. A primeira planta nacional foi inaugurada em 1920, no Bom Retiro, São Paulo, Capital.

Atualmente, é a terceira maior montadora do mundo em volume de vendas e a quarta colocada no mercado brasileiro.

Leia também: Ford X Chevrolet: o superclássico americano

Conheça mais sobre a história deste tradicional fabricante contada por várias fontes:

Continuar lendo

Lembranças automotivas da minha infância, conclusões finais

Na parte 1 desta série de posts, falei sobre o mercado de veículos dos anos 80 e 90, do oligopólio das quatro grandes (VW, GM, Fiat e Ford) e da falta de opções de compra. (Confira aqui a parte 1).

Na segunda matéria, a pauta foi finanças e economia automotivas, contextualizados com o cenário econômico dificílimo daqueles tempos, com baixo crescimento econômico e hiperinflação, assim como todo o desdobramentos para os consumidores. (Confira aqui a parte 2).

No post 3, os aspectos de segurança e costumes dos motoristas daqueles tempos foram abordados, em comparação com os atuais.(Confira aqui a parte 3).

O post seguinte trata de questões técnicas dos automóveis de trinta anos atrás, no que concerne à dirigibilidade, conforto, estabilidade, performance, ruído e emissões e como era o ato de dirigir naqueles tempos. (Confira aqui a parte 4).

A penúltima matéria aborda as condições das ruas e estradas àquele tempo, detalhando a evolução ao longo das décadas e futuras necessidades. (Confira aqui a parte 5).

Em poucas décadas, a evolução da indústria automobilística se mostrou brutal, e muito mais ainda nos espera. O escopo desta série de posts residiu em expor todos os aspectos positivos e negativos daqueles que possuíam e/ou trafegavam de carro nos anos 80 e 90. Para os mais velhos relembrarem, e os mais novos compreenderem como todo o processo de desenrolou. Espero que tenham gostado.

Fórmula 1 de 1988 a 1993 – Breve histórico

Dizem que para um atleta virar lenda, ele depende de um rival forte. Com Ayrton Senna não foi diferente. Ele correu em um época de muitos bons pilotos, dentre os quais se destacou e se tornou o mais lembrado: Nelson Piquet, Nigel Mansell, Keke Rosberg, e nos últimos anos, Michael Schumacher, uma estrela em ascensão. A lista é longa.

Mas de todos os rivais, o número um foi o baixinho Alain Prost. Desde que viraram companheiros de equipe na McLaren em 1988, travaram um dura batalha pelos títulos de 1988, 1989 e 1990, sendo que neste último ano o  francês pilotou pela Ferrari. Duas vitórias para Ayrton (1988 e 1990) e uma para Prost (1989), em uma desclassificação polêmica do brasileiro no GP do Japão, após ambos se envolverem em um acidente.

Voltaram a disputar o título em 1993, com o francês correndo em uma Williams claramente superior à McLaren Ford de Senna, com triunfo do francês.

Nos campeonatos de 1991 e 1992, o concorrente de Senna foi o inglês Nigel Mansell, correndo pela mesma Williams-Renault, o melhor monoposto de sua época com a inovadora suspensão ativa. Apesar da superioridade técnica do bólido azul ante o McLaren-Honda de Senna, o brasileiro levou o primeiro.

Com o aprimoramento da suspensão ativa, a habilidade do brasileiro não conseguiu fazer frente à tecnologia da Williams, levando um piloto mediano como Mansell ao seu único título com três corridas de antecipação.

Ao final da temporada de 1992, algo curioso ocorreu. O campeão da Fórmula 1 Nigel Mansell deixou a categoria e foi competir na Fórmula Indy, uma das principais categorias americanas. Simultaneamente, o campeão de 1992 da categoria ianque, Michael Andretti, fechou contrato com a equipe McLaren para ser companheiro de Ayrton Senna para a temporada 1993.

No ano seguinte, o inglês se sagrou campeão da Fórmula Indy pela equipe Newman-Haas. Por outro lado, o filho de Mario Andretti se mostrou um fiasco, abandonando a categoria três corridas antes do final da temporada, para retornar à Indy.

O vídeo abaixo mostra a maior rivalidade na época de ouro: Senna versus Prost em 1989:

Despedida do Monza (1996) – Peça Publicitária

Em um época de cenário econômico extremamente desafiador como os anos 1980 e início dos 1990, havia poucas opções de carros disponíveis ao consumidor. Como as montadoras ficavam receosas de fazer grandes investimentos, os poucos modelos eram renovados em longos espaços e os lançamentos de novos modelos podiam ser contados nos dedos de uma mão a cada ano.

Um dos veículos mais modernos de sua época foi o Chevrolet Monza. De projeto alemão, feito pela Opel, trouxe modernidade a um segmento cujos concorrentes apresentavam projetos de até trinta anos antes. Revolucionou o mercado e foi líder de vendas até 1986, quando foi desbancado pelo VW Gol.

Continua sendo valorizado no mercado de usados até os dias de hoje, e possui um fã-clube extenso, composto por apaixonados de todas as idades, por todo o Brasil. Em 1993, a GM trouxe o Vectra A, ainda mais avançado, mas que não atingiu vendagem expressiva devido ao alto preço. Ambos conviveram até 1996, ano de lançamento do Vectra B, este com grande êxito no mercado e se mostrou um sucessor à altura do clássico Monza.

Confira o vídeo de despedida do Monza, que deixou saudades:

Gosta de carros antigos? Leia a série em que conto sobre as lembranças automotivas dos anos 80 e 90:

Lembranças automotivas dos anos 80 e 90 – Parte 1

Lembranças automotivas dos anos 80 e 90 – Parte 2

Lembranças automotivas dos anos 80 e 90 – Parte 3

Lembranças automotivas dos anos 80 e 90 – Parte 4

Lembranças automotivas dos anos 80 e 90 – Parte 5

6 itens automotivos hoje valorizados que foram rejeitados no passado

Cores de carros que foram sucesso em décadas passadas

Lembranças automotivas da minha infância, parte 5

Nesta parte 5, a pauta é design e acessórios. Como todos se recordam, os anos 80 foram a era do design “quadradão”, de linhas retas. À época, tais linhas eram vistas como futuristas e eficientes, mas como toda a moda e decoração daquele período, passaram a ser vistas como excêntricas e de gosto duvidoso poucos anos depois.

Por outro lado, a década de 80 viveu uma efervescência musical e cultural, fato pelo qual os automóveis são lembrados com carinho por aqueles que viveram naqueles tempos bicudos, mas marcantes. Este post retratará as opções de estilo adotadas pela indústria.

Leia na Parte 1 e na Parte 2 sobre a situação do cenário econômico e mercadológico há 30 anos. Continuar lendo

vw volkswagen gol gti 1988

Lembranças automotivas da minha infância, parte 4

Nesta quarta matéria, o foco reside nas questões práticas do ato de dirigir naqueles tempos. Como andavam os carros, se eram barulhentos, confortáveis, equipados, gastões ou econômicos e todos os pequenos detalhes que marcaram minha infância e começo de adolescência, com mais detalhes além dos descritos na primeira parte. (Confira aqui). Continuar lendo